Benefícios, Meio de Pagamento

5 Dicas para Manter as Finanças Organizadas


Finanças Organizadas: Quando há uma queda na receita, o melhor a fazer é manter o controle das finanças.


A principal causa da inadimplência no país é o desemprego que, em um ano e meio, cresceu 13 pontos percentuais (de 32% no 1º semestre de 2017 para 45% no 1º semestre de 2018) entre os principais motivos que levam à restrição dos consumidores brasileiros. Se você faz parte deste grupo de consumidores que está com o “nome sujo” porque perdeu o emprego, daremos 5 orientações que podem ajudá-lo, mesmo neste cenário de instabilidade financeira, a colocar as contas um pouco mais em dia.


1 – Coloque as contas na ponta do lápis.

Pode ser em uma folha de papel ou em uma planilha no computador. Coloque tudo o que entra de renda ao longo do mês. Vale o salário, um bico, a aposentadoria. Assim como tudo o que sai, contas fixas e variáveis, como as de consumo (água, luz, telefone, internet), com o supermercado e lazer. Assim, será possível visualizar como estão realmente as contas e receitas da casa.

2 – Evite fazer novas dívidas e ao comprar no cartão de crédito fazendo muitas parcelas.

É importante lembrar que ao não conseguir quitar o valor total da fatura, entra-se no rotativo, que tem um dos maiores juros do mercado, por isso, se possível, dê preferência ao cartão de débito, cartão pré-pago ou pagamento em dinheiro.

3 – Reduza as despesas ao máximo.

Verifique se é possível diminuir o consumo de água, energia elétrica, telefone, e até mesmo de gastos variáveis como refeições fora de casa ou aquela pizza do fim de semana. Reúna as pessoas da família, inclusive as crianças, e converse sobre como podem economizar. Explique a atual situação e que até conseguir um novo emprego, será necessário que todos colaborem, senão, posteriormente, boa parte da receita ficará comprometida com o pagamento das dívidas vencidas que terão juros e demais taxas por atraso. Em momentos difíceis como esse, gaste apenas o essencial.

4 – Use suas habilidades para conseguir uma renda variável enquanto não consegue uma recolocação no mercado.

Seja criativo. Faça daquele hobby ou aptidão, como artesanato, doces, manutenção residencial, uma oportunidade para garantir um dinheiro extra no fim do mês. E uma boa forma de divulgar seus serviços é investir no relacionamento com familiares, amigos, vizinhança e comércios do bairro. A divulgação boca a boca é uma ótima aliada.

5 – Ao conseguir um emprego, tente renegociar os valores das dívidas em atraso e a forma de pagamento, procurando diretamente o credor.

Vá até a loja ou ao banco e fale diretamente com o setor de cobrança ou com o gerente. Não é necessário envolver terceiros nestas renegociações. É importante deixar a vergonha de lado e enfrentar o problema, principalmente porque está decidido a resolver a pendência. Ter um valor para sugerir como uma possível entrada ajuda muito neste processo. A entrada é uma demonstração de garantia de que, ao parcelar o valor restante, está disposto a pagar. Antes de sair de casa, saiba suas condições financeiras para negociar, sabendo quanto você dispõe por mês para pagar aquela dívida.

Caso tenha mais de uma dívida, faça as contas para saber quanto pode pagar mensalmente em cada uma delas.
A fonte da matéria completa pode ser lida em: Dicas para manter as finanças organizadas.

0

Meio de Pagamento

“Os pais precisam ser exemplo e não é isso o que acontece. Alguém que vive endividado e com o nome sujo não irá inspirar seus filhos”

Educação financeira: investimento amedrontador?

Muitas vezes, o tema “investimento” é amedrontador para aqueles que não conhecem, ou não tem pouca noção sobre finanças pessoais, afinal, o Brasil é um dos países com a educação financeira extremamente precária ou inexistente. Em sua última pesquisa divulgada em 2016, a OCDE constatou que o país está na 27ª colocação, entre 30 países. Foram levados em conta apenas três pilares no meio da educação financeira: conhecimento, comportamento e atitude. Sem exceção, o Brasil se destacou como péssimo em todos, ficando à frente apenas da Croácia, Bielorrússia e Polônia. A França lidera o ranking como a mais educada financeiramente.

“Hoje o conhecimento sobre qualquer tema está disponível na internet e de forma gratuita, para todos. Não importa a sua classe social ou econômica. Basta ir atrás. Porém, os pais precisam ser exemplo, e não é bem isso o que acontece. Alguém que vive endividado e com o nome sujo não irá inspirar seus filhos. É preciso fazer a lição de casa básica e parar de gastar mais do que se ganha e o primeiro dinheiro que entra no mês é o que será guardado para se investir”, explica Daniela Casabona, Assessora Financeira da FB Wealth.


Modelo de Pagamento

Um modelo de pagamento tem crescido muito nos últimos anos e pode ser um grande aliado para a educação financeira, o cartão pré-pago. Com ele, não há risco de gastar mais do que se tem, mantendo a segurança de não andar com dinheiro em espécie. Assim como nos modelos de cartões de débito ou crédito no cartão pré-pago, toda transação financeira pode ser acompanhada através de site e aplicativo, tendo um maior controle de gastos e melhor planejamento na hora de gastar. Motivo que tem levado muitos pais a terem adotado estes cartões, facilitando o controle financeiro deles mesmos e de seus filhos.

Conheça nosso cartão pré-pago Aurumcard Mastercard® e todos os seus benefícios.

Fonte: https://www.segs.com.br
0